Blog da Teia

Por dentro do dia a dia da criação editorial

2016 – Que ano!

* por Carolina Carrijo

O ano está acabando e, mais uma vez, nos dá aquela gostosa sensação de dever cumprido. Mas, opa, espera aí… 2016 não foi assim grandes coisas. Muitas mudanças nos pegaram de surpresa, principalmente na economia e na política. O Brasil viveu dias que mais pareciam episódios de série de ficção.

No mundo das celebridades, o ano ficou marcado por perdas irreparáveis: os cantores David Bowie e Prince, o Professor Girafales e muitos outros. A lista foi realmente muito grande. Agora, mais no final do ano, tivemos a tragédia com um time inteiro de futebol, deixando os nossos corações partidos e um mundo inteiro de solidariedade. Mas por outro lado, ficamos com a esperança de um mundo mais humano e compreensivo. Até Ninão, o cão blogueiro, se foi! O que foi esse ano? 

Obviamente, não podemos focar somente na parte ruim, pois muitas coisas boas também aconteceram: o nosso país foi palco da maior festa esportiva do mundo. O Rio de Janeiro recebeu, de braços abertos, os melhores atletas e mostrou que é capaz de dar um show de organização, receptividade e festividade. Além disso, os mascotes Tom e Vinícius nos conquistaram, as nossas delegações fizeram bonito e o futebol fechou com chave de ouro! Foi lindo de viver!

Mas e na comunicação? Também foi atípico! Como sempre, o brasileiro não é de deixar barato e, por isso, pegou carona em todos esses acontecimentos para aprontar poucas e boas na internet: um meme novo surgia a cada segundo.

A propaganda nos surpreendeu com altos e baixos: campanhas polêmicas, machismo falta de representatividade foram pautas de muitas ações, o que nos deixou muito preocupados com o futuro da nossa profissão.

E o Facebook? Até tu, Facebook! Nos mandou métricas erradas, inflou alcances de publicações para promover novas plataformas e bagunçou todo o planejamento e as estratégias de marketing digital. Assumiram o erro! Mas o incidente levantou um debate sobre a precisão de dados em plataformas digitais.

Já o Snapchat se consagrou entre os jovens e o Instagram não quis ficar atrás: lançou o InstaMoments, e deu um UP com diversas ferramentas para curtir mensagens, deletar seguidores e por aí vai.

O que esperar de 2017? Ainda não sabemos, mas podemos afirmar que depois desse ano, estamos prontos para o que der e vier!

* Mãe 24 horas por dia, Jornalista e apaixonada por internet e redes sociais. Hoje o seu foco é métricas e monitoramento. Passa o dia todo conectada e sempre que pode marca presença em eventos e cursos da área. Além disso, Carol tem experiência em assessoria de imprensa e endomarketing.

Mais recentes

Instagram x Snapchat – e o seu declínio

5 dicas para estagiários – e como é ser estagiária na TEIA

Dia dos Namorados no Brasil: uma origem comercial criada pelo publicitário João Dória

Dica de conteúdo – por Rafael Bandoni